quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Argentinos na NBA

Argentinian players in NBA
Argentinos en la NBA


RUBÉN WOLKOWYSKI: o primeiro argentino a fechar contrato para jogar a NBA foi o ala-pivô Rubén Wolkowski. Aos 27 anos, ele, como agente livre, fechou contrato e jogou a temporada 2000-2001 pelo Seattle Supersonics, nela ele disputou 34 partidas, com médias de 9,0 minutos, 1,4 rebotes e 2,2 pontos por jogo. Deixou Seattle rumo à Europa no fim da temporada mas, posteriormente, voltou à NBA na temporada 2002-2003, quando defendeu o Boston Celtics, porém para jogar apenas 7 jogos e só 3,4 minutos em média (0,1 rebotes e 0,7 pontos por jogo).

PEPE SÁNCHEZ: o armador Juan Ignacio Sánchez chegou à NBA na mesma temporada que Wolkowyski, tendo inclusive estreiado primeiro, e se tornado o primeiro argentino na história a jogar um jogo na NBA (em 31/10/2000). Ele começou sua trajetória na NBA aos 23 anos, após se formar pela Universidade de Temple, e conseguir algum destaque com o Temple Owls na primeira divisão da NCAA, liga universitária dos EUA. Jogou a temporada 2000-2001 primeiro no Philadelphia 76ers, onde realizou 24 jogos (1,5 assitências e 0,8 ponto por jogo). Terminou a temporada no Atlanta Hawks, onde jogou apenas 5 vezes (1,0 assitência por jogo e 0 pontos). Daí seguiu para a Europa. Voltou à NBA na temporada 2002-2003 para defender o Detroit Pistons, onde atou em 9 partidas apenas (0,9 assitências e 0 pontos). Em 2003, realizou a pré-temporada jogando pelo Golden Satate Warriors, mas não conseguiu fechar contrato e seguiu carreira na Europa.

Sanchez no 76ers e Wolkowyski no Sonics

MANU GINÓBILI: o ala-armador Emanuel Ginóbili foi o primeiro argentino a efetivamente obter sucesso na NBA. Jogou sua primeira temporada na liga aos 25 anos, mas três anos antes havia sido a 57ª escolha do Draft de 1999. Os Spurs só decidiram efetivamente usá-lo após a fantástica campanha da Argentina no Mundial de 2002. Fez história defendendo o San Antionio Spurs. Seus números: na temporada 2002-03 jogou 69 vezes na temporada regular (20,7 minutos, 2,0 assistências e 7,6 pontos por jogo), e 24 vezes nos play-offs (27,5 minutos, 2,9 assistências e 9,4 pontos por jogo), tendo sido Campeão da NBA com o Spurs; na temporada 2003-04 jogou 77 vezes na regular (29,4 minutos, 3,8 assistências e 12,8 pontos por jogo), e 10 vezes nos play-offs (28,0 minutos, 3,1 assistências e 13,0 pontos por jogo); na temporada 2004-05 jogou 74 vezes na regular (29,6 minutos, 3,9 assistências e 16,0 pontos por jogo), e 23 vezes nos play-offs (33,6 minutos, 4,2 assistências e 20,8 pontos por jogo), voltando a ser Campeão da NBA com o Spurs, e com um desempenho que o levou ao All Star Game 2005; na temporada 2005-06 jogou 65 vezes na regular (27,9 minutos, 3,6 assistências e 15,1 pontos por jogo), e 13 vezes nos play-offs (32,8 minutos, 3,0 assistências e 18,4 pontos por jogo); na temporada 2006-07 jogou 75 vezes na regular (27,5 minutos, 3,5 assistências e 16,5 pontos por jogo), e 20 vezes nos play-offs (31,1 minutos, 3,7 assistências e 16,7 pontos por jogo), tendo sido pela 3ª vez Campeão da NBA com o Spurs; na temporada 2007-08 jogou 74 vezes na regular (31,1 minutos, 4,5 assistências e 19,5 pontos por jogo), e 17 vezes nos play-offs (32,9 minutos, 3,9 assistências e 17,8 pontos por jogo), foi sua melhor temporada: eleito Melhor Sexto Jogador e escolhido para o All NBA Third Team - "Terceiro Quinteto Ideal" da temporada; na temporada 2008-09 jogou 44 vezes (26,8 minutos, 3,6 assistências e 15,5 pontos por jogo); na temporada 2009-10 jogou 75 vezes na temporada regular (28,7 minutos, 4,9 assistências e 16,5 pontos por jogo), e 10 vezes nos play-offs (35,2 minutos, 6,0 assistências e 19,4 pontos por jogo); na temporada 2010-11 jogou 80 vezes na regular, 79 das quais iniciando o jogo como titular (30,3 minutos, 4,9 assistências e 17,4 pontos por jogo), e 5 vezes nos play-offs (34,8 minutos, 4,2 assistências e 20,6 pontos por jogo), tendo voltado a ser escolhido para o All Star Game; na temporada 2011-12 jogou 34 vezes na regular (23,3 minutos, 4,4 assistências e 12,9 pontos por jogo) e 14 vezes nos play-offs (27,9 minutos, 4,0 assistências e 14,4 pontos por jogo). Na temporada 2012-13 jogou 60 vezes na fase regular (23,2 minutos, 4,6 assistências e 11,8 pontos por jogo), impressionante como os números são parecidos aos da temporada anterior, reforçando a grande regularidade deste grande jogador; ele jogou ainda 21 vezes nos play-offs (26,7 minutos, 5,0 assistências e 11,5 pontos por jogo). Na temporada 2013-14 jogou 68 jogos na temporada regular (22,8 minutos e 12,3 pontos por jogo) e 23 jogos em play-off (25,5 minutos e 14,4 pontos por jogo), sendo mais uma vez campeão da NBA. Na temporada 2014-15, já aos 37 anos, jogou 70 jogos na temporada regular (22,7 minutos e 10,5 pontos por jogo) e 7 jogos em play-off (18,7 minutos e 8,0 pontos por jogo). Em contagem regressiva para o fim de sua brilhante carreira, na temporada 2015-16, com 38 anos, jogou 58 jogos na temporada regular (19,6 minutos e 9,6 pontos por jogo) e 10 jogos em play-off (19,2 minutos e 6,7 pontos por jogo). Em sua 15ª temporada na NBA, 2016-17, chegou pela 14ª vez a play-offs; na temporada regular disputou 69 jogos, com 18,7 minutos e 7,5 pontos por jogo, e nos play-offs jogou outros 16 jogos, com 17,8 minutos e 6,6 pontos por jogo.

O histórico Spurs de Tim Duncan, Manu e Tony Parker

ANDRÉS NOCIONI: após a conquista do Ouro Olímpico, Nocioni, jogador que joga tanto de ala quanto ala-pivô, foi o quarto argentino a jogar na NBA, quando estava então com 25 anos. Como agente livre, fechou contrato com o Chicago Bulls, onde disputou 5 temporadas: na temporada 2004-05 jogou 81 vezes na temporada regular (23,4 minutos e 8,4 pontos por jogo) e 6 vezes nos play-offs (33,7 minutos, 8,2 rebotes e 12,8 pontos por jogo); na temporada 2005-06 jogou 82 vezes na regular (27,3 minutos e 13,0 pontos por jogo) e 6 vezes nos play-offs (38,3 minutos, 8,8 rebotes e 22,3 pontos por jogo); na temporada 2006-07 jogou 53 vezes na regular (26,5 minutos e 14,1 pontos por jogo) e 10 vezes nos play-offs (19,7 minutos e 8,8 pontos por jogo); na temporada 2007-08 jogou 82 vezes (24,6 minutos e 13,2 pontos por jogo) e na temporada 2008-09 jogou 53 vezes (24,1 minutos e 10,4 pontos por jogo). No meio da temporada transferiu-se para o Sacramento Kings, onde jogou outros 23 jogos (31,0 minutos e 13,7 pontos por jogo). Na temporada 2009-10, sua segunda em Sacramento, jogou 75 vezes (19,7 minutos e 8,5 pontos por jogo). Na temporada seguinte mudou-se para o Philadelphia 76ers, em 2010-11 fez 54 partidas na temporada regular (17,2 minutos e 6,1 pontos por jogo) e voltou a jogar play-offs, mas fez só 1 jogo (10,0 minutos e 0 pontos); em 2011-12 jogou apenas 11 vezes (só 5,1 minutos e 1,5 pontos por jogo).


CARLOS DELFINO: o ala-armador chegou à NBA aos 22 anos, tendo sido a 25ª escolha do Draft 2003, no qual foi selecionado pelo Detroit Pistons, onde jogou por três anos: na temporada 2004-05 jogou 30 vezes (15,3 minutos e 3,9 pontos por jogo); na temporada 2005-06 jogou 68 vezes na temporada regular (10,7 minutos e 3,6 pontos por jogo) e 8 vezes nos play-offs (4,0 minutos e 0,6 pontos por jogo); e na temporada 2006-07 jogou 82 vezes na regular (16,7 minutos e 5,2 pontos por jogo) e 16 vezes nos play-offs (8,4 minutos e 2,3 pontos por jogo). Buscando mais tempo de quadra, mudou-se para o Toronto Raptors na temporada 2007-08, tendo jogado 82 vezes na regular (23,5 minutos e 9,0 pontos por jogo) e 5 vezes nos play-offs (24,2 minutos e 8,6 pontos por jogo). Após uma temporada na Rússia, voltou para NBA para defender o Milwaukee Bucks, onde jogou três anos; na temporada 2009-10 jogou 75 vezes na regular (30,4 minutos, 2,7 assistências e 11,0 pontos por jogo) e 7 vezes nos play-offs (32,3 minutos e 10,0 pontos por jogo); na temporada 2010-11 fez 49 partidas (32,4 minutos e 11,5 pontos por jogo); e na temporada 2011-12 jogou 54 vezes (28,5 minutos e 9,0 pontos por jogo). Na temporada 2012-13 mudou novamente de equipe, indo defender o Houston Rockets, onde jogou 67 partidas na temporada regular (25,2 minutos e 10,6 pontos por jogo) e 5 de play offs (24,0 minutos e 9,0 pontos por jogo).


FABRICIO OBERTO: sexto argentino a jogar na NBA, o ala-pivô chegou em 2005 já com 31 anos, tornando-se o mais velho estreiante da história do San Antonio Spurs, onde jogou junto a Ginóbili por 4 temporadas. Pelo Spurs, na temporada 2005-06 jogou 59 vezes na temporada regular (8,3 minutos e 1,7 pontos por jogo) e 7 vezes nos play-offs (4,9 minutos, 1,0 ponto por jogo); na temporada 2006-07 jogou 79 vezes na regular (17,3 minutos e 4,4 pontos por jogo) e 20 vezes nos play-offs (20,8 minutos, 4,9 rebotes e 5,6 pontos por jogo), sagrando-se Campeão da NBA; na temporada 2007-08 jogou 82 vezes na regular (20,1 minutos e 4,8 pontos por jogo) e 17 vezes nos play-offs (19,5 minutos, 4,2 rebotes e 3,7 pontos por jogo); e na temporada 2008-09 jogou 54 vezes na regular (12,5 minutos e 2,6 pontos por jogo) e 2 vezes nos play-offs (11,0 minutos e 6,0 pontos por jogo). Na temporada 2009-10 jogou pelo Washington Wizards: 57 jogos (11,4 minutos e 1,5 pontos por jogo). Nova mudança na temporada em 2010-11, indo para o Portland Trail Blazers, onde jogou apenas 5 partidas (9,0 minutos e 1,4 pontos por jogo) quando então sentiu um problema cardíaco de arritmia que o forçou a encerrar a carreira aos 36 anos.


WÁLTER HERRMANN: o ala-pivô foi o sétimo argentino a entrar na NBA, quando como agente livre assinou, aos 27 anos, contrato com o Charlotte Bobcats; na temporada 2006-07 jogou 48 jogos (19,5 minutos e 9,2 pontos por jogo) e na temporada 2007-08 jogou 17 jogos (10,2 minutos e 4,0 pontos por jogo). No meio da temporada transferiu-se para o Detroit Pistons, onde jogou outros 28 jogos na temporada regular (7,1 minutos e 3,0 pontos por jogo) e 4 jogos nos play-offs (6,8 minutos e 1,3 ponto por jogo); e na temporada 2008-09, ainda em Detroit, foram 59 jogos na regular (10,7 minutos e 3,8 pontos por jogo) e 4 jogos nos play-offs (5,5 minutos e 2,0 ponto por jogo).


LUIS SCOLA: o pivô foi a 56ª escolha do Draft 2002, feita pelo San Antonio Spurs, mas sua entrada na NBA só aconteceu em 2007, aos 27 anos, quando os Spurs o envolveram numa troca com o Houston Rockets, time que defendeu por 5 temporadas, tendo em quatro delas disputado todos os jogos da equipe: na temporada 2007-08 jogou 82 vezes na temporada regular (24,7 minutos, 6,4 rebotes e 10,3 pontos por jogo) e 6 jogos nos play-offs (36,7 minutos, 9,3 rebotes e 14,0 pontos por jogo); na temporada 2008-09 jogou 82 vezes na regular, em todas iniciando como titular (30,3 minutos, 8,8 rebotes e 12,7 pontos por jogo) e 13 jogos nos play-offs (32,6 minutos, 8,4 rebotes e 14,4 pontos por jogo); na temporada 2009-10 jogou 82 vezes, em todas iniciando como titular (32,6 minutos, 8,6 rebotes e 16,2 pontos por jogo); na temporada 2010-11, jogou 74 partidas, esteve ausente de 8 jogos apenas (32,6 minutos, 8,2 rebotes e 18,3 pontos por jogo); na temporada 2011-12 jogou 66 vezes, em todas iniciando como titular, numa temporada que pela greve foi mais curta, não tendo 82 mas 66 jogos (31,3 minutos, 6,5 rebotes e 15,5 pontos por jogo). Na temporada 2012-13 transferiu-se para o Pheonix Suns, por quem jogou os 82 jogos da temporada (26,6 minutos, 6,6 rebotes e 12,8 pontos por jogo). Na temporada 2013-14 transferiu-se para o Indiana Pacers, por quem jogou os 82 jogos da temporada regular (17,1 minutos, 4,8 rebotes e 7,6 pontos por jogo) e 18 jogos no play-off (13,5 minutos, 2,3 rebotes e 6,1 pontos por jogo). Na temporada 2014-15 jogou 81 jogos da temporada regular (20,5 minutos, 6,5 rebotes e 9,4 pontos por jogo). Ele disputou a temporada 2015-16 pelo Toronto Raptors, tendo jogado 76 jogos da temporada regular (21,5 minutos, 4,7 rebotes e 8,7 pontos por jogo) e 11 jogos no play-off (12,7 minutos, 1,6 rebotes e 2,6 pontos por jogo). Na sua 10ª temporada na NBA, 2016-17, defendeu o Brooklyn Nets, jogando 36 partidas da temporada regular (12,8 minutos, 3,9 rebotes e 5,1 pontos).


PABLO PRIGIONI: o armador chegou à NBA tardiamente, aos 35 anos, para defender o New York Knicks, na temporada 2012-2013 jogou 78 jogos na temporada regular (16,2 minutos e 3,5 pontos por jogo) e 11 jogos de play-off (20,9 minutos e 4,5 pontos), na temporada 2013-2014 jogou 66 jogos na temporada regular (19,4 minutos e 3,8 pontos por jogo) e na temporada 2014-15 jogou 43 jogos (18,5 minutos e 4,7 pontos por jogo). No meio da temporada se transferiu para o Houston Rockets, por quem jogou outros 24 jogos na temporada regular  (16,8 minutos e 3,0 pontos por jogo) e 17 jogos no play-off (17,2 minutos e 3,1 pontos por jogo). Na temporada 2015-16 defendeu o Los Angeles Clippers, tendo disputado 59 jogos na temporada regular  (14,0 minutos e 2,5 pontos por jogo) e 5 jogos no play-off (5,2 minutos e 0 ponto por jogo).


JUAN PABLO VAULET: o jovem ala de 19 anos foi a 39ª escolha do Draft 2015, selecionado pelo Charlotte Hornets e  trocado na mesma noite com o Brooklyn Nets, porém, não teve oportunidade na NBA, atuando só na Liga de Verão.

NICOLÁS BRUSSINO: assinou contrato para defender o Dallas Mavericks na temporada 2016-17 da NBA. Aturo em 54 partidas, com 9,7 minutos e 2,8 pontos por jogo.


PATRÍCIO GARINO: assinou contrato para defender o San Antonio Spurs na temporada 2016-17 da NBA, porém acabou dispensado após testes no início da temporada. Acabou tendo uma oportunidade no Orlando Magic, mas jogou apenas 5 partidas na temporada regular (8,6 minutos por jogo e 0 pontos).


NICOLÁS LAPROVITTOLA: chegou ao San Antonio Spurs junto com Pato Garino para ser testado no time que já tinha Manu Ginóbili. O ex-armador do Flamengo atuou em 18 partidas da temporada regular, chegando a em três delas iniciar como titular. Teve médias de 9,7 pontos, 1,6 assistências e 3,3 pontos por jogo. Porém, acabou dispensado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário